sábado, 30 de abril de 2011

As riquezas da Graça Divina

Postado por: Edson Araújo às 00:30 Comente

As riquezas da Graça Divina

Romanos 1:16-17

A mensagem: Que a graça de Deus quer ver o crente revestido de justiça divina, por fé no Salvador.
Introdução: A graça de Deus perdoa o pecado, alivia a sua consciência do sentimento de culpa e garante a sua alma em vista do porvir. Mas tudo isto, embora muito, não esgota as riquezas da graça divina.
No Evangelho, segundo diz nosso versículo, se revela uma justiça de Deus para o crente, de imenso valor atual para a sua vida diária.
Para melhor entendermos esta bênção, devemos pensar naquilo que havia antes de o Evangelho ser anunciado. Havia apenas a lei de Deus: a Sua exigência de justiça da parte do homem — uma exigência justa, em verdade, mas que somente o condenava, porque ele nunca atingia a medida marcada pela lei divina.

1 – O QUE É EVANGELHO?

O Evangelho é uma boa notícia, não acerca dos homens, porque deles, embora possamos dizer coisas verdadeiras, não podemos contar coisas essencialmente boas.
Em verdade, como é triste pensar no estado espiritual da raça humana: de cada indivíduo! Consciente dos seus deveres, mas nunca podendo satisfazer as exigências da consciência: Conhecendo o bem, mas sempre propenso para o mal. Impedido de conseguir os seus melhores propósitos por uma vontade perversa que tende a escolher os piores!
Para esta criatura fraca, perversa, perdida, brilham as boas novas que lhe declaram que a ruína não somente é conhecida de seu Criador, mas contemplada com compaixão, e que o mesmo Deus ofendido pelo pecado tem achado um remédio cabal para seu caso.

2 – O QUE O EVANGELHO REVELA

Não uma capa para ocultar, mas um remédio real: uma Justiça divina para o homem quando ele nada de justiça tinha com que apresentar-se perante Deus. Justiça de Deus revelada em vez de justiça humana exigida.
Podemos parar um pouco para verificar em que medida somos revestidos desta justiça: o seu sinal mais evidente, a olhos humanos, sendo uma vida irrepreensível, um procedimento exemplar, um propósito e uma energia constante em servir os interesses de Deus neste mundo.
Mas uma justiça, uma retidão de vida, produzida pelo efeito regenerador do Evangelho na nossa vida. Uma conduta que nasce da nossa preocupação com Cristo.

3 – COMO SE OBTÉM ESTA BENÇÃO?

As palavras do original «ek pisteos eis pistin» traduzidas por Almeida «de fé em fé», podem significar: «segundo o princípio de fé, ao crente.» Ou seja a justiça em que somos revestidos perante Deus, ou seja a justiça prática que apresentamos perante o mundo, tudo é mediante a fé: a fé que enxerga a graça divina revelada em Cristo, o valor do Seu sangue derramado, o poder santificador da Sua Palavra.
Conclusão: Qual é o valor do ensino deste versículo para as vossas almas?
a) Confiança em Deus, não mais com medo dEle como um Juiz severo, mas conhecendo-O como um Salvador bondoso.
b) Um andar irrepreensível no presente, na medida que nossa fé se alimenta da graça divina.
c) Um serviço constante em tornar o Evangelho da nossa salvação conhecido aos outros.
Autor: S. E. Mcnair / Adaptado por Andrei Barros

Fonte: Maxmode

Ninguém comentou :(

Postar um comentário

EM CASO DE DÚVIDAS:
- Seu comentário de preferência precisa ser relacionado com o assunto do post;
- Link quebrado ou algo assim, POR FAVOR avise o mais rapido possivel para que possamos corrigir;
- Cuidado com as palavras, não use palavrões e nem palavras que venham a ofender alguém. Comentários desse gênero não serão publicados;
- Se quiser deixar sua URL, comente usando a opção OpenID;
- Com as suas dúvidas exclaressidas... opine, discuta, verbalize, interaja;

QUE A GRAÇA E A PAZ DO NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO ESTEJA COM TODOS VOCÊS!

VOLTE SEMPRE!

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p